12 DICAS PARA TORNAR-SE UM ÓTIMO PALESTRANTE

Olá Pessoal, primeiramente gostaria de desejar-lhes um Ótimo 2014, um mês se passou, mas ainda está valendo.

Neste primeiro post do ano eu gostaria de compartilhar com vocês um material muito interessante que li em 2013.

Assim como vocês acompanho diversos blogs no mundo SQL Server e este material na minha opinião foi muito interessante eu tive acesso desta mesma forma, acompanhando blogs.

O materia todo foi escrito pelo grande Thomas Larock (@SQLRockstar), MCM, MVP, MCT, enfim, um DBA muito experiente com muito conhecimento com muita participação e ajuda para comunidade.

Este material em particular achei de uma sensibilidade incrível e muitos pontos muito importante e muito bem colocados porque são pontos de vista não só de quem está falando, mas de quem assiste uma palestra e isso me chamou bastante atenção.

Conversei com Thomas parabenizando-o pelo ótimo post, surgiu a ideia e a possibilidade deste material ser traduzido para a língua portuguesa. Conversamos e a ideia torna-se então realidade.

Fico muito feliz de o meu primeiro posto do ano ser uma parceria assim e também uma forma de compartilhar bons conteúdos não somente do Brasil na nossa língua.

Me alegra também o fato de que não somos verdades absolutas e não queremos ser únicos, nos inspiramos e lemos muito material excelente, porque não oferecer isso para toda comunidade.

Obrigado Thomas pelo apoio, pela confiança e que mais destes sejam possíveis. Segue o link do post original e a versão em portugues.

12 DICAS PARA TORNAR-SE UM ÓTIMO PALESTRANTE

12 DICAS PARA TORNAR-SE UM ÓTIMO PALESTRANTE

12 dicas para ser um ótimo palestrante. Eu tenho falado à grupos de pessoas há mais de 20 anos. Seja em uma sala de aula, uma equipe esportiva, uma reunião do projeto, um webcast, ou uma conferência, fiz isso em todos estes meios. Ao longo dos anos eu aprendi um punhado de dicas e truques. Com o PASS Summit em 2013 eu decidi que eu iria compartilhar com vocês algumas das coisas que aprendi ao longo deste caminho.

Essas dicas se aplicam a todo que a qualquer momento em que podem precisar falar a um grupo, não importa quão grande ou qual o ambiente, e nenhuma ordem em particular:

FALE PARA TODOS

Algumas pessoas tentam fazer isso falando com as pessoas no fundo da sala. Não se concentre apenas em uma área. Faça contato visual com as pessoas e se mova ao redor da sala para que todos sintam-se envolvidos em algum momento.

PRIMEIRO E ÚLTIMO

As pessoas tendem a lembrar das coisas que ouviram no começo de no final. É uma boa ideia para construir seu conteúdo e de alguma forma tirar proveito disso.

SEJA FAMILIAR E ORIGINAL

Você tem uma melhor interação se o público estiver lhe vendo como alguém semelhante a eles. Mas a sua conversa precisa mostrar-lhes algo especial, algo único que não tenha visto ou ouvido antes. Encontrar esta originalidade é mais fácil do que a maioria das pessoas imaginam. A originalidade é a sua história. Discutir o bom, o mau e o errado frutos do que você já vivenciou. Esteja disposto a compartilhar isso e o público vai sentir que a palestra foi valiosa.

ISSO NÃO É SOBRE VOCÊ

É sobre eles. Quanto mais tempo você passar falando de você mesmo, mais tempo você deixa seu público desinteressado.

FOCO NO PROCESSO

Seu conteúdo deve ser focado e seguir um esquema que ajude a definir um processo. As melhores apresentações são sobre um processo, não sobre uma pessoa.

SUA HISTÓRIA DEVE SER TAMBÉM HISTÓRIA DELES

Você quer que o público entenda que a sua história é semelhante a história deles. Isso ajuda você a construir uma conexão que permite o público a sentir-se inspirado.

APRENDA A CHAMAR ATENÇÃO

Grandes palestrantes sabem como contar a sua história de tal forma que, conforme a história se desenrola eles têm expectativas naturais construídas nela. Você quer que o público antecipe o seu próximo slide ou qual frase vai ser. Mesmo que eles já tenham ouvido alguém falar sobre o tema antes, uma pessoa na plateia se sente conectado com o palestrante se eles acreditam que sabem o que está por vir. Pense em como você gosta de programas de televisão, quando você acha que sabe o que virá. Mesmo se você acertar, muitas vezes você ainda aprecia o show.

VISUAIS MUITAS VEZES FUNCIONAM MELHOR DO QUE FALAR

Sempre que possível você deve mostrar imagens antes de começar a explicar o que você quer dizer. As imagens são muito poderosas. Você quer elas sejam vistas o máximo possível e explique o mais breve o que estão vendo. Além disso, a certeza de que elas são relevantes e não apenas fotos de seus gatos. Mostrando imagens abstratas que não estão relacionados com o tópico em questão provavelmente não vai impressionar o seu público.

NÃO APENAS FALE, PERGUNTE

Fazer perguntas do público é uma ótima maneira de fazer com que se sintam engajados na apresentação. Não gaste todo o seu tempo da palestra para isso. Ninguém gosta de alguém dizendo-lhes o que fazer por uma hora. Desenvolver um senso de empatia e entender que outras pessoas têm experiências que não são suas, mas elas ainda têm valor. Só um egocêntrico pensaria que sua experiência é tudo o que importa.

VÁ COM CALMA

Se você tentar passar muita informação em um curto espaço de tempo de sua apresentação é provável que se sinta apressado e o seu público ficará desmotivado. É um erro onde é fácil achar que você precisa ter mais conteúdo do que você realmente está fazendo. Muitas vezes você precisa de menos do que você imagina.

VOCÊ NÃO É ENGRAÇADO

A menos que você seja pago para escrever comédia, não se incomode tentando colocar humor em sua apresentação. Uma abordagem melhor é deixar o público descobrir o humor dentro do seu conteúdo, se ele existir.

FOQUE NO QUE VOCÊ SABE

O que você sabe é baseado em suas experiências. Concentre-se nisso. Não tente falar sobre cada tópico possível, ou fingir ser um especialista em tudo. Pense sobre o que é o seu nicho e deixe que isso seja o seu guia. Caso contrário, você acabará tentando construir uma apresentação que fala pouco para todos. Quando isso acontece, você muitas vezes você acha que a apresentação acabou sem falar com ninguém.

Por fim, compre um livro para ajudá-lo. Eu gosto do The Jelly Effect: Como fazer a sua comunicação como um exemplo para ajudá-lo a como construir o seu conteúdo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s